Fluminense × na web de torcedores da Fluminense.
Fluminense
A rede social de torcedores do
Fluminense

GANHAR TRAPACEANDO É COSTUME

zeismodejose Por zeismodejose

em 09-05-2017 às 18:48

OLHA ELE
OLHA ELE
FLAMENGO 2X1 FLUMINENSE - Apito amigo dá título ao Flamengo mais uma vez
 

7 May 2017

 

Redação às 17:59

 
 

Lance escandaloso decidiu o Fla-Flu e estragou a festa
 

Infelizmente, o Fla-Flu acabou decidido pelo apito amigo rubro-negro. A festa era bonita, o Fluminense vencia, mas aos 39 minutos a arbitragem fez uma lambança. Em cobrança de escanteio, Réver fez falta escandalosa no marcador e o lance originou o gol de empate do Flamengo. Na sequência, o Urubu marcou o segundo e levantou o 33o título estadual.

 

Mais uma vez, o Flamengo conquista um título na trapaça e no apito. O Fluminense segue sua trajetória, lutando com suas próprias forças.

 

 

 

Depois de Wright, Scolfaro, Marcelo de Lima Henrique, José de Assis Aragão e Cia, o Flamengo acrecenta Wagner do Nascimento Magalhães à sua galeria de ídolos.
 

Acabou a vantagem
 

O Fluminense partiu para cima do Flamengo como fora uma locomotiva no início do jogo. Logo na primeira oportunidade de gol, Sornoza cobrou escanteio, Leo desviou no primeiro poste e Dourado cabeceou com violência, balançando a rede e acabando com a vantagem rubro-negra.
 

O Fluminense não deu sequência, entretanto, à pressão e cedeu a intermediária ao Flamengo, que passou a saborear a posse de bola, mas com dificuldades de criar oportunidades. A diferença para o primeiro jogo da final era que Guerrero não tinha espaço para jogar. Mesmo assim, aos 12 minutos, o Flamengo ameaçou. Renê pegou rebote da defesa e arrematou com perigo.
 

Como o Flamengo tinha dificuldades, o árbitro entrou em campo e passou a inverter e inventar faltas em profusão. Aos 27 minutos, chegou ao absurdo de dar cartão amarelo para Wellington por ter sofrido uma falta que ele mesmo marcou. Aos 31 minutos, Lucas sofreu falta na entrada da área quando arremataria para o gol e o árbitro nada marcou, ligando contragolpe rubro-negro, que terminou nos pés de Éverton, na área perigosa. O arremate foi no alto e Cavalieri se esticou para mandar a escanteio.
 

O Fluminense seguiu dando a posse de bola do Flamengo e ameaçando apenas em jogadas de bola parada, mas aos 46 minutos teve a chance do segundo no contra-ataque. Dourado arrancou pela esquerda e cruzou a meia altura. A bola passou por todo mundo e sobrou para Wellington, que bateu de primeira e carimbou Rafael Vaz na pequena área.

 

Arbitragem decide para o Fla
 

O segundo tempo começou em ritmo acelerado, com o Flamengo indo para cima e o Fluminense contra-atacando. Éverton fez boa jogada pela esquerda e cruzou com perigo. O Flu contra-atacou e Renê salvou a assistência de Wellington para Richarlison. Leo invadiu a área e foi derrubado, mas o árbitro não viu pênalti. A torcida do Fluminense não parava por nada. Sornoza lançou Dourado por elevação. O atacante foi no fundo e cruzou rasteiro, mas Muralha se atirou na pequena área para evitar o arremate de Richarlison.
Diferente, o Fluminense passou a disputar o domínio da intermediária. Berrío saiu para a entrada de Gabriel no Flamengo. O jogo ficou aberto e incendiou a Mais Extraordinária Força Popular do Planeta. De tanto ouvir a torcida do Fluminense cantar, a torcida do Flamengo reagiu, mas foi o Flu que quase marcou. Sornoza arriscou da entrada da área e Muralha mergulhou para mandar a escanteio.

 

Aos 17 minutos, Abel tirou Wellington e colocou Maranhão. O jogo era ruim a essa altura, sem uma caracterização tática, mas ninguém ligava mais. Aos 25 minutos, Guerrero fez jogada individual e tentou o arremate da entrada da área, mas carimbou a defesa. O Flamengo era mais agressivo, mas não conseguia se infiltrar na defesa tricolor, quando a torcida tricolor começou a canta "A benção João de Deus". Aos 34 minutos, Dourado subiu mais que a zaga e testou firme para Muralha defender.
 

Aos 38 minutos, Arão arriscou de longe, a bola desviou na defesa e quase enganou Cavalieri. A bola foi a escanteio. Réver cometeu falta escandalosa no marcador e a bola sobrou para Guerrero marcar. Na sequência, no contra-ataque, Pará quase marcou.
 

Abel colocou Pedro e Marcos Júnior na vaga de Richarlison e Wendel. O Flu foi todo para o ataque. Márcio Araújo arrancou da própria defesa e soltou a bomba para Cavalieri fazer grande defesa. Aos 47 minutos, Rodney disparou livre, tocou e se atirou. O árbitro expulsou Cavalieri. Orejuela foi para o gol. No último lance, Orejuela foi para a área e o Flamengo contra-atacou. Rodney avançou livre e marcou o terceiro. Mais uma jornada vergonhosa do futebol carioca.

Sua comunidade,
no seu celular
1 VOTOS

Obrigado/a por colaborar conosco. Comprovaremos a notícia denunciada e atuaremos em conseqüência.

Novos comentários

Deseja participar desta seção?

- Se você já está registrado, entre.

Se ainda não está registrado em soumaisflu.com.br: